Buscar
 
 

Resultados por:
 


Rechercher Busca avançada

Últimos assuntos
» Preces de Umbanda
Qui 18 Maio 2017, 21:08 por Mauricio D'Ogum

» ALVORADA DOS PRETOS VELHOS
Dom 16 Abr 2017, 12:16 por Mauricio D'Ogum

» Preconceito e Intolerância no facebook
Qui 02 Fev 2017, 20:21 por Mauricio D'Ogum

» Umbanda e o Dia de Finados
Qua 02 Nov 2016, 21:08 por Mauricio D'Ogum

» Umbanda e a Bíblia - Minha Visão
Sab 10 Set 2016, 23:23 por Mauricio D'Ogum

» EXÚ (Preservador do direito de livre arbítrio)
Ter 02 Ago 2016, 18:44 por Mauricio D'Ogum

» FOFOCAS NO TERREIRO
Sab 16 Jul 2016, 12:50 por Mauricio D'Ogum

» VIDEOS NO YOUTUBE
Sab 02 Jul 2016, 22:08 por Mauricio D'Ogum

» Pretos Velhos (“As vezes me chamam de negro”...)
Sab 02 Jul 2016, 21:59 por Mauricio D'Ogum

Navegação
 Portal
 Índice
 Membros
 Perfil
 FAQ
 Buscar

XANGÔ Umbanda

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

XANGÔ Umbanda

Mensagem por Mauricio D'Ogum em Dom 02 Out 2011, 21:20

Xangô é sincretizado com São Jerônimo, São Pedro, São João Batista, cujo poder se manifesta na pedreira, é o Senhor da justiça. Seu símbolo é o machado de duas faces, significando que o machado tanto protege seus filhos das injustiças como os pune quando as cometem, bem como a estrela de 6 pontas cujo símbolo é em si o poder equilibrador do universo.


UMA LENDA DE XANGÔ


Xangô foi o terceiro Aláâfin de Oyó, Rei de Oyó, filho de Oranian e Torosi, a filha de Elenpê, rei dos Tapás; Foi criado no país de
sua mãe indo mais tarde para Kóso (Kossô). O povo de Kossô não o aceitava porque Xangô tinha um caráter muito violento,
dominador e impetuoso, mas conseguiu se impor através da força.

Em seguida foi para Oyó, junto com seu povo e aí criou um bairro que recebeu o nome de Kossô, conservando assim o seu título
de Obá Kossô. Dadá-Ajaká, filho mais velho de Oranian e irmão de sangue de Xangô, reinavam em Oyó, e por ser muito calmo e
pacífico não tinha a energia que se precisava na época para ser um chefe ou um Rei.

Xangô o destronou e Dadá-Ajaká exiliou-se durante sete anos em Igboh. Mais tarde, quando Xangô deixou Oyó, Dadá-Ajaká
voltou a reinar, só que desta vez diferente, mostrando-se guerreiro e muito valente, indo também contra a família materna de Xangô
atacando os Tapás.

Xangô teve três esposas: Oyá, Oxum e Obá. Xangô era muito atrevido e violento, porém, grande justiceiro, sempre castigando
os ladrões e malfeitores. Por este motivo diz-se quem teve morte por raio, ou sua casa ou negócio queimado pelo fogo, foi vítima da
ira ou cólera de Xangô.



Os Caboclos de Xangô.

Os mensageiros de Xangô são a representatividade mais perfeita da força da Umbanda na quebra de demandas. Sua manifestação é tão forte e poderosa que chega a assustar iniciantes e assistidos que não estejam familiarizados com estas entidades das montanhas e pedreiras.
Sr. Pedra de Fogo, Caboclo de Xangô
São caboclos, indígenas, que vivem ou viveram mais isoladamente e portanto possuem um comportamento mais rústico. Alguns ainda nem falam nosso idioma.Talvez por isso, pouco se pratica a Gira de Xangô na Umbanda, mas quem o faz e acaba então conhecendo melhor esta entidade, descobre um verdadeiro Pai.


São amorosos, preocupados e acima de tudo muito justos.
Gostam de um bom fumo e do Amalá , de pinhão cozido e cerveja preta.
Também apreciam um vinho tinto.
Se utilizam do Oxé, um machado de 2 lâminas, geralmente feito de madeira e pedra e dançam ao som do Alujá, o toque de atabaque específico do Orixá Xangô.
Para quem busca a justiça, ou deseja que esta seja feita, não pode perder uma gira de Xangô.
avatar
Mauricio D'Ogum
Admin

Mensagens : 139
Data de inscrição : 10/11/2009
Idade : 42

Ver perfil do usuário http://umbandeiros.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum